[Rodrigo’s review] The Order: 1886

Nome: The Order: 1886
Gênero: TPS – Third person shooter

Distribuidora: Sony Produtora: Ready at Dawn
Plataforma(s): Playstation 4

Versão analisada: Playstation 4

the-order-1886

Beleza que se põe na mesa!

A formula era certeira: Estúdio competente com sua primeira IP (propriedade intelectual), um aparelho poderoso e robusto, gênero super bem aceito por inúmeros públicos e com uma pitada de gênio escolhendo a era vitoriana como tema do jogo. The Order: 1886 estava com a receita do bolo para se tornar uma franquia de peso. Talvez esse foi o maior erro do jogo de maior expectativa até agora da 8ª geração.

Clique para continuar lendo!

Anúncios

[Rodrigo´s review] Child of Light

Nome: Child of Light
Gênero: Jrpg (rpg  japonês)

Distribuidora: Ubisoft Produtora: Ubisoft Montreal

Plataforma(s): Playstation 4, Xbox One, Playstation 3, Xbox 360, Wii-U e Pc.

Versão analisada: Playstation 4

wii-u-eshop-trailer-conheca-o-mo

O sol e as estrelas.

Child of Light quando foi anunciado pela Ubisoft, parecia mais tributo ao glamourosos tempos de Jrpgs (rpgs japoneses) que um jogo em si. Porem, quando se começa a desfrutar do poema jogável o que se tem em mãos é muito mais que uma simples homenagem. Continuar lendo

[Rodrigo’s review] Killzone Shadow Fall

Nome: Killzone Shadow Fall
Gênero: Fps

Distribuidora: Sony Produtora: Guerrilla
Plataforma(s): Playstation 4.

Versão analisada: Playstation 4

killzone-shadow-fall
Marcas de um passado esquecido

Killzone chega em seu 4º game da série principal para o Playstation 4, com a responsabilidade de ser o único grande exclusivo do console da Sony, no inicio da oitava geração.

Shadow Fall acontece cerca de 30 anos depois dos acontecimentos do últimos games da serie. A vida dos Helghan está em ruínas. Seu planeta natal Helghast sucumbiu a intensa guerra politica de anos atrás.

Para salvar os refugiados de Helghast, a ISA ( Interplanetary Strategic Alliance), entrou em acordo com o planeta Vekta e construiu um enorme muro dividindo o planeta, para poder abrigar os órfãos de Helghast.

No inicio do jogo assumimos o papel do pequeno Lucas Kellan, tentando fugir de uma patrulha das tropas Helghan, ao lado de seu pai. Eles faziam parte um programa de espiões de Vektan, para descobrir o que acontecia do outro lado do muro.

Logo na introdução do game, conhecemos Thomas Sinclair, que apôs um trágico acidente, se torna o tutor de Lucas.  Ao longo dos anos de guerra e espionagem, os dois tornam-se peças importantes da corporação Shadow Marshall, em busca de resposta para um único objetivo: Proteger a nação de Vektan.

Leia todo o review, clicando aqui.

[Jogador Estatístico] A “entressafra” de Agosto.

img

Caros leitores do Jogador Pensante, com orgulho inauguramos uma nova sessão no site.

O jogador estatístico será a sessão ideal para os matemáticos :P!

Todo Mês vamos fazer uma análise das tendências e como o mercado está se comportando. A ideia é deixar vocês leitores mais informados sobre o nosso mundo gamer. Será legal! Vamos fazer bem descontraído e atraente. Precisamos de todos e contamos com os sempre excelentes feedback.

Nossa primeira análise é do mês de Agosto. O primeiro mês do segundo semestre do ano, normalmente é marcado por lançamentos de games pouco expressivos. São jogos que procuram um espaço entre o forte lançamento do verão americano e do final do ano. Em 2013 tivemos boas surpresas, mas não foi diferente dos anos anteriores. Confira o artigo clicando aqui.

[Rodrigo’s review] Splinter Cell: Blacklist

Nome: Splinter Cell: Blacklist
Gênero: Steath Game

Distribuidora: Ubisoft Produtora: Ubisoft Toronto
Plataforma(s): Playstation 3, Xbox 360, Wii-U e Pc.

Versão analisada: Xbox 360

Tom-Clancys-Splinter-Cell-Blacklist-is-a-New-Anti-Iran-Video-Game

O Agente das sombras

Em seu retorno Splinter Cell: Blacklist busca destaque no novo mercado de games, muito mais voltado a jogos verossímil e empantufados de conteúdos online.

A Ubisoft não poupou esforços em trazer Splinter Cell: Blacklist. Foram nada menos de 3 estúdios trabalhando em conjunto: Ubisoft Toronto, Ubisoft Montreal e Ubisfot Shanghai.

O plantel tinha a missão de devolver o prestigio da serie com o publico mais fiel. Para isso, foi necessário recorrer ao passado glorioso de Splinter Cell, que até elogios de Hideo Kojima (Metal Gear Solid) recebeu. Mas também não poderia deixar de lado os novos consumidores, que clamam por cada vez mais modos online.

Clique aqui para ler toda a análise!