[Fran’s Review] Batman: Arkham Knight

“-Batman, it’s probably a trap.

– I’m counting on it.”

Produtora: Rocksteady
Distribuidora:  Warner Bros. Interactive Entertainment
Gênero: Ação-Aventura
Versão Analisada: Xbox One
Plataforma: Xbox One, Ps4 e PC

Arkham Knight tem o início logo após os eventos do Batman: Arkham City, se preparando para concluir a história do super-herói nesse universo.

A história é muito bem apresentada, começando com uma narração do Comissário Gordon sobre os acontecimentos daquela época e te introduzindo àquela nova aventura contra o famoso vilão Espantalho.

Foi introduzido nesse jogo um novo vilão, sendo mais um dos que ajudam o Espantalho em sua missão de enlouquecer Gotham e o Batman, o Arkham Knight, quem passa a ter um papel muito importante no desenrolar da história, muitas vezes até deixando o vilão principal um pouco de lado.


Toda a cidade vai te contando a história ao longo do jogo, sendo através das conversas entre os capangas ou algum vilão falando com você através de alto-falantes, te lembrando do caminhar da história e não te deixando perdido caso naquele momento tenha resolvido focar nas missões secundárias.

A narrativa do jogo está muito bem construída, e a história de Bruce Wayne com os vilões é ainda mais bem explicada se você quiser se aventurar nas missões secundárias, que por si só apresentam um outro lado do jogo e algumas delas irão desencadear acontecimentos únicos da história principal quando completados.

A jogabilidade está do jeito que conhecemos dos outros jogos, com um excelente combate e modo stealth que fazem com que você se sinta o verdadeiro Batman.

Mas agora temos algumas melhorias nesses dois modos, sendo um deles o combate em conjunto com um parceiro. Essa nova forma de bater nos inimigos funciona com um combate individual normal, enquanto seu parceiro está lutando contra os outros inimigos, mas alcançado um certo número de combo o jogo te oferece uma finalização dupla, que passada uma animação, o controle do personagem muda do Batman para o seu parceiro, seja ele quem for, o Robin, Asa Noturna ou até a Mulher Gato. Isso tudo além de novas finalizações, combos e inimigos que foram introduzidos nessa continuação.

Novos apetrechos foram adicionados ao cinto de utilidades do Batman pra te ajudar nas situações stealth, que vão deixando o jogo mais interessante ao longo de seu progresso, não ficando nunca na mesmice de sempre fazer as mesmas coisas.

Um ponto que vale ressaltar é que agora Gotham inteira está a sua disposição, o que significa que temos o Batmóvel pra andar livremente pela cidade e incrementar ainda mais na jogabilidade e diversidade desse jogo incrível.

O carro agora é fundamental pra conseguir as diversas atividades que Gotham te oferece, como resolver os quebra-cabeças do Charada, correr atrás do Vagalume e até desarmar bombas lutando contra carros-fortes.

Ao contrário do Arkham Origins, esse jogo teve diversas evoluções fantásticas em seu meio de jogar, mas perdeu nas famosas boss-battles de seu sucessor, que eram muito bem executadas.

A trilha sonora está incrivelmente bem executada e situando completamente o jogador dentro da atmosfera proposta, como era de se esperar, visto o histórico da série nesse quesito.

Como citado anteriormente, algo muito importante em Gotham é o som, assim você consegue facilmente identificar quando algum vilão importante vai anunciar algo e o que os capangas estão conversando para te situar melhor nos acontecimentos atuais, sendo que todas as suas ações e progressão afetam a fala de todos os inimigos.

A dublagem conta com grandes atores, como a volta como Coringa pelo Mark Hammil (Luke Skywalker), Kevin Conroy (Batman nas animações), Jonathan Banks (Mike da série Breaking Bad), Troy Baker, e vários outros atores incríveis.

O visual de Batman: Arkham Knight é incrivelmente bem feito e detalhado, fazendo com que o jogador consiga captar completamente o clima do lugar que está visitando, seja ele qual for dentro de Gotham, e com uma evolução quase que necessária em relação ao Arkham Origins, visto a mudança de plataforma e entrando em uma nova geração de consoles.

Parece que pegaram os jogos anteriores e focaram em detalhar mais e mais, agora com uma diferença gritante entre a armadura e capa do antigo Batman em relação ao novo, sem falar que todos os modelos dos personagens estão muito mais detalhados.

A animação dos diálogos, contudo, não mudou praticamente nada e continua no mesmo estilo travado com expressões faciais quase nulas durante as falas, mas nada que afete a experiência do jogador.

O mundo aberto que tínhamos nos jogos anteriores evoluiu ainda mais. Tudo nas ruas de Gotham podem ser destruídas pelo seu poderoso Batmóvel, seja passando por cima ou atirando, como na série Battlefield.

Arkham Knight seguiu uma progressão esperada vindo da Rocksteady (Asylum e City), e conta com personagens interessantes, história que te envolve, mas não tanto, um mundo aberto com coisas interessantíssimas para explorar, novas mecânicas de jogo e coisas a fazer.

Para qualquer fã de do super-herói, seja através da série de desenhos animados ou quadrinhos, precisa jogar a série Arkham e fechar com chave de ouro com Arkham Knight, que sem dúvidas vai te proporcionar a maior experiência como Batman já vista.

Vá lá, jogue e seja o Batman.

NOTA GERAL: 9,0

Anúncios

Um pensamento sobre “[Fran’s Review] Batman: Arkham Knight

  1. Pingback: [Neto’s Review] Assassin’s Creed Syndicate | Jogador Pensante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s