[Especial Xbox] O gigante americano.

                     É Microsoft ou nada!
                                                                                                                                                                                                                                                                                    Xbox does what nintendon´t!
                                                                                                                                                                                              Fun anyone? Xbox

Alguma coisa está estranha? Essas eram frases de publicidade de Nintendo, Sega e Sony para seus respectivos consoles. O que tem a ver? Tudo! O Xbox, primeiro console da gigante americana, é um emaranhado de funções e tecnologias utilizadas pelas gigantes dos games ao longo dos anos.

Quer dizer então que o console da Microsoft não passa de um xerox de tudo o que o mercado já tinha oferecido? Mais ou menos, o Xbox é sim um console fortemente inspirado no demais (veremos ao longo do artigo), mas ele acima de tudo é um console que tentou (e conseguiu na maioria) oferecer o melhor de tudo o que já vimos. Então como Lavoisier filosofou: Na natureza nada se crianada se perdetudo se transforma. E o saudoso Chacrinha recriou: Na tv nada se cria, tudo se copia. Podemos dizer que a Microsoft no video games: Nada se criou, tudo se melhorou.

nesse artigo especial do mês de Outubro, veremos como a gigante americana foi corajosa em entrar no mercado até então dominado pelos japoneses Sony e Nintendo.

A Microsoft tinha uma das missões mais difícil do últimos anos: Voltar a ter uma terceira concorrente competitiva no mercado de consoles.

Com isso em mente a empresa tinha a certeza que ia precisar de muito, mas muito dinheiro. Bem, sabemos que dinheiro não era problema para a gigante dos computadores, e provavelmente ela não ia entrar para perder.

1999, ano que começa os primeiros rumores que uma nova e forte empresa vai entrar no mercado de consoles. De fato, a Microsoft não era uma novata. A empresa já tinha sua linha de jogos para computadores, e desenvolveu algumas ferramentas para a Sega no seu Dreamcast. Mesmo assim, a desconfiança do publico era imensa, poucos acreditavam que a dona do Windows ia ter competência e capacidade de competir com os seus futuros rivais. Mesmo sobre essa descrença do publico geral, a Microsoft continuo trabalhando em seu secreto projeto, denominado DirectX box.

Então em março de 2000, o segredo da Microsoft veio à tona. Bill Gates, em seu discurso na abertura da Game Developers Expo, finalmente anunciou o lançamento de seu console, o Xbox. O aparelho, com um design discutível, apresenta uma configuração que lembra um PC: processador Intel Pentium III de 733 MHz, placa de vídeo Nvidea NV2 de 250 MHz, 64 MB de memória unificada, HD de 8 GB, suporte a Internet banda larga e decodificação de som Dolby Digital 5.1 in-game. O sistema operacional é uma versão reduzida do kernel (núcleo) do Windows 2000, desenvolvida especialmente para o console. Funciona também como DVD player, mas para isso é preciso comprar um controle a parte. Para evitar que o Xbox fosse confundido com um PC, a Microsoft desencorajava os desenvolvedores a oferecer suporte a periféricos de PC, tais como mouses e teclados.

Primeiro protótipo do Directx box.

Para a Microsoft o grande chamariz do console era o seu disco rígido integrado. Ed Fries, ex-chefe da Microsoft e responsável pela divisão criadora do console, foi quem convenceu Bill Gates que o disco era importante para o sucesso do console. A ideia do disco em tese se encaixa perfeitamente ao que os desenvolvedores de jogos precisam, mas como o mercado estava cada vez mais competitivo, aumentando a necessidade dos jogos serem multiplataforma, atrapalhou o processo do uso do disco rígido na época  Desde os anos 2000 a Microsoft já sabia da necessidade dos jogos passarem por instalação, mas nem todos os jogos faziam cache, e também com a maioria das empresas usando o Playstation 2 como plataforma nativa dos jogos, o uso continuo de disco rígido só vingou mesmo na atual geração.

O nome do console era apenas uma abreviação do nome oficial (DirectX box). Mas durante o processo de criação do aparelho Ed Fries percebeu que a abreviação do nome era mais usada pelos funcionários que o próprio nome. Com isso em mente, resolveu que o console tinha que ter o nome Xbox, mas mesmo com um nome que acreditavam ser forte e que cairia no gosto do publico, o Marketing da Microsoft rejeitou na hora. O nome era visto como uma ofensa em alguns países ( o uso do X no inicio no nome). Assim fizeram pesquisas com diversas nacionalidades sobre qual nome adotar, sempre com o Xbox no meio de outros nomes, para espanto da divisão de marketing  Xbox sempre ganhava.

Sony tinha os botões baseado em forma geométricas. A Nintendo as letras. Microsoft adotou cores.

O Design do console inicialmente era horrível. A Microsoft não tinha experiencia com isso, e criou mais um gabinete de Pc no formato de um X gigante do que propriamente um console. Mas cerca de um ano antes do lançamento, ela percebeu que teria que adotar um modelo similar ao que o mercado tinha para não afugentar possíveis novos clientes. O projeto final do Xbox ainda não chamava a atenção, o console é gigante e pesado, mesmo assim, a Microsoft tinha melhorado o que antes não passava de uma carcaça para placas de hardware.

Gigante, desengonçado, cansativo, incompatível… O primeiro controle do Xbox, foi um monstro desajeitado criado nos estúdios da Microsoft. O Caso é curioso, afinal, a empresa tinha muita experiencia com controles para Pc.

O “Fatty” era um controle com muito botões (alguns desnecessários, como o BACK), e sem ergonomia para as mãos dos jogadores, apelidado de “controle para jogadores de basquete”. O controle foi substituído um ano mais tarde (2002) por um modelo mais leve e que já lembrava o controle do Xbox 360.

Os dois controles do Xbox. Não é difícil de descobrir qual era o mais desconfortável!

 Bem vindo ao verdadeiro mundo online.

A Sega pode ter sido a primeira a investir de verdade no jogos com jogabilidade online nos consoles, mas a Microsoft foi quem finalmente estabeleceu os padrões para que o negocio desse certo. Robbie Bach, responsavel pela divisão de games online da empresa, era o principal nome que acreditava que os consoles precisavam entrar no mercado online. Um dos maiores impasses sobre o mundo online, foi quanto ao modem integrado do console, parece bizarro, mas na época a maioria das conexões eram com modens dial-up. A Microsoft estava cética quanto ao uso de internet, mas Robbie acabou vencendo com o argumento que o Xbox era um console a frente do seu tempo. Diga-se de passagem acertou em cheio.

Mas de nada adianta uma boa rede de internet, sem o principal: Jogos que realmente fossem desenvolvidos  para isso. Foi então, que surgiu a principal parceira da Microsoft, a Bungie.

A pequena gigante.

Se perguntar para qualquer integrante do time Xbox da Microsoft, a resposta vai ser sempre a mesma. Nenhum deles poderia imaginar que a Bungie ia ser o principal pilar do console, ou melhor, ninguém poderia imaginar que se não fosse ela e seu Halo, provavelmente o Xbox não sobreviria.

Ed Fries sabia que com o lançamento do Xbox, ela precisava de alguns exclusivos para combater o já consagrado Playstation 2. coincidentemente a Bungie estava passando por grandes problemas financeiros, e seus fundadores estavam procurando um investidor para adquirir a empresa.  A Take Two já tinha comprado cerca de 1/3 da Bungie, quando a empresa se ofereceu a Microsoft, Fries se interessou e resolveu que precisava deles, principalmente depois de ver alguns piloto de Halo. Em 2000, antes do lançamento do Xbox, a Bungie se tornou uma second-party da Microsoft.

Em 2001 no lançamento do Xbox no mercado americano, ele estava lá. Halo Combat evolved, se tornou um sucesso instantâneo  Milhões de pessoa compraram o console, somente com para jogar Halo online, e apreciar o jogo que diziam ser um Fps de consoles melhor que Pc. De fato, Halo mudou drasticamente o cenário do jogos de tiro em primeira pessoa, graças a ele, esse mercado amadureceu e hoje podemos contar com grandes games como Kilzone, Bioshock, Crysis e outros  que funcionam incrivelmente bem nos consoles.

O poder dos americanos.

Halo 2

Em meados de 2000, surgiu o boato que DooM, jogo de tiro em primeira pessoa da ID Software muito famoso nos anos 90, regressaria em um terceiro game, exclusivo para o Pcs. Os batos também eram que seria o jogo mais bonito de todos os tempos (e o mais pesado). Bem, não demorou muito tempo para os jogadores de games nos computadores ( pc gamers), entrarem em desespero e procurar o mais rápida  atualização possível e turbinar suas maquinas para receber o novo e potente game. O jogo chegou em 2003, e realmente era muita acima dos outros jogos da época  sem duvidas o jogo mais bonito (e sombrio) já criado. E diziam ser praticamente impossível as maquinas da 6º geração ( Game Cube, Playstation 2 e Xbox) terem capacidade de rodar o game, bem diziam…Em 2004 o Xbox receberia a versão de DooM³ exclusiva para consoles, e não devia nada para o pc.

O Xbox era potente (muito potente!), impressionava a todos os jogadores de consoles de mesa. Quando o console chegou em 2001, seus jogos iniciais já demonstravam um certa qualidade acima do que o mercado tinha ( em 2001 o Playstation 2 tinha em seu portfólio jogos como Devil May Cry, Onimusha, Final Fantasy X). Não foi difícil o gigante desengonçado da Microsoft rapidamente estabelecer um padrão a ser batido. Mas nem o poderoso Game Cube da Nintendo, parecia ter gás para enfrentar de frente o console.

Conker Live & Reloaded

O xbox era praticamente um computador  para rodar exclusivamente jogos em sua televisão. As empresas do ramo quando encontraram o console se espantaram com a facilidade que era programas nele, acostumadas a complexos e burocráticos consoles japoneses. Graças a isso o Xbox dominou a 6º geração em questão de beleza gráfica  tanto artisticamente como tecnicamente. DooM ³ é apenas um exemplo dentro de tantos outros jogos lindos e que deixava qualquer jogador de Playstation com aguá na boca. Até hoje Ninja Gaiden Black, Conker Live & Reloaded, Halo 2, The Chronicles of Riddick e outros podem ser confundidos como jogos do começo da 7º geração de consoles.

Não se entra em um mercado para perder.

Xbox projeto final.

 É até difícil de imaginar que em apenas 2 anos, a divisão DirectX box conseguiu criar um console competitivo e atraente. O Xbox chegou com uma enorme desconfiança do publico em geral. No seu primeiro ano de vida o Xbox vendeu 2 milhões de unidades. Foi bom? Sim foi, se pensar que o Dreamcast com toda a experiencia e nome da Sega, no seu primeiro ano vendeu quase isso.

O Xbox nasceu para ficar. A Microsoft não tinha entrado no mercado de consoles como uma aposta, ela tinha a certeza que esse mercado em um curto espaço se tornaria uma maquina de dinheiro ( hoje o mercado de consoles, rende anualmente mais dinheiro que a industria da musica e cinema somados). E para vencer a desconfiança do publico, ela abriu os cofres.

Acho que os dois principais fatores do sucesso do primeiro Xbox é o dinheiro da Microsoft e Halo. O Primeiro foi crucial para fazer o console se segurar no mercado. A sexta geração era uma disputa desleal e desigual. O Playstation 2 reinava com sobra.  Todo mundo queria um Ps2, todos os filhos pediam um Ps2, não existia outro console.

A Microsoft ciente disso, sabia que o dinheiro tinha que ser injetado. A maioria dos exclusivos do console, teve dinheiro da empresa financiando o projeto. E quando ela se interessava pela produtora, não importa o preço ela comprava. Foi o caso da Rareware, a empresa no inicial da década de 2000 pertencia parcialmente a Nintendo, e tinha seu contrato de exclusividade vencido. Foi então que a Microsoft resolveu que queria uma empresa como aquela, com experiencia no mercado, e mais, tinha o respaldo dos jogadores.  U milhões, esse foi o dinheiro depositado pela empresa de Bill Gates, para comprar a Rareware. O valor foi alto, e a Microsoft sabe disso, ela jogou esse numero tão alto propositalmente para espantar a concorrência (a Activision já tinha valores fechados com a Rareware para a compra), não teve como, a empresa fechou com a Microsoft.

Já Halo é um mito. O Jogo é uma lenda. Algo a frente do seu tempo. Halo é viciante, cativante e interessante. Seu gameplay rápido e fluido, com uma dinâmica mais baseada no controles, foi o segredo de tanto sucesso. E que sucesso: 40% dos donos de Xbox tinha Halo em sua casa. Sem duvidas, um jogo lendário, e não é equivoco nenhum a afirmativa dele ter sido o responsável pela sobrevivência do console.

Basear em um produto já existente, muitas vezes é confundido com falta de originalidade e qualidade. Quando você se baseia, e recria com mais competência e qualidade, acho que falta de originalidade vira um termo muito substantivo,e não cabe a nos julgar se esse caminho é o mais correto. A Microsoft, tinha a certeza que os seus concorrentes eram o espelho do sucesso. A Nintendo pelo passado glorioso e base instalada de fãs que sempre cuidavam da empresa com carinho , mesmo quando o console atual do mercado não era sucesso. E a Sony que no seu primeiro console quebrou a barreira de 100 milhões de consoles vendidos e mais de 4 mil jogos no Psone. Tudo isso, trouxe outros ares para o mercado de consoles, ares que a Microsoft queria respirar.

24 milhões de consoles, metade disso no Estados Unidos. Esse é o numero final de unidade comercializadas no período curto de vida do primeiro Xbox. O numero foi importante, para deixar a empresa em segundo na geração e dar uma resposta a todos que ela veio para ficar.

O Xbox original, durou pouco tempo, apenas 4 anos, mas serviu muito para a Microsoft, se ajustar e entender o mercado de consoles. Em 2005 o Xbox 360 chegará, com uma empresa muito mais qualificada e empenhada em ser a maior do mercado. Uma nova Microsoft, com sua própria identidade. Em breve o terceiro console da empresa vai chegar (as afirmativas são que em 2013), e a vida dele vai ser muito mais fácil  com todo o legado deixado pelo Xbox, e fortificado com o xbox 360.

Ah! No final, a Microsoft também criou o seu logo: Life is short. Play more! Xbox.

Comercial Life is Short. Play more. Xbox. A propaganda foi vinculada até no Brasil.

Anúncios

Um pensamento sobre “[Especial Xbox] O gigante americano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s