[Consciência Gamer] FUS RO DAH!

Videogame hoje em dia certamente faz parte da cultura popular. É muito difícil encontrar algum jovem atualmente que não tenha algum dia na vida dele colocado um controle de videogame entre as mãos. Esse suposto jovem pode não gostar de videogames, mas ele sabe o que é e também como é.

Sendo parte integrante da cultura moderna, não é difícil nos depararmos também com referências a jogos eletrônicos em diversos meios. Diversos jogos se tornaram filmes: Super Mario Bros. (que todos queremos esquecer que um dia existiu nas telonas), Doom, Resident Evil, e a lista é enorme. Quem se lembrar também do filme Scott Pilgrim contra o mundo vai recordar que ele traz diversas referências a jogos… o filme, aliás, é como um elogio à cultura moderna. E os videogames não ficam de fora, sendo grande parte da influência do namoro conturbado de Scott Pilgrim com Ramona Flowers.

Tanta influência gamística é cada vez maior. Seriados começam a trazer a cultura dos jogos diretamente para dentro da nossa casa sem nem pedirmos: The Big Bang Theory diversas vezes já mostrou o elenco jogando Xbox 360, World of Warcraft, Wii, entre outros. Outra série menos conhecida – Reaper – também mostrou seus personagens jogando o console branco da Nintendo.

E tudo isso chegou a um nível tão alto que um único jogo alcançou o status máximo, alcançou um nível cultural tão abrangente que nunca havia sido visto: The Elder Scrolls V: Skyrim.

Antes mesmo do jogo ser lançado, épicas proporções foram sendo lançadas, com um teaser que não mostrava muita coisa, exceto um mural adornado com diversas imagens, as mais destacadas sendo o dragão Alduin e o chamado Dragonborn, Dovahkiin na língua do jogo.

A música que era tocada era além de uma carga épica que casava perfeitamente com o jogo. Afinal, dragões, medievalismo e um guerreiro portador de espada e magia são a definição máxima do que é épico hoje em dia.

A partir daí começaram e não pararam de pipocar as mais diversas manifestações populares em relação a Skyrim. Pessoas fizeram tirinhas, vídeos, montagens e tocaram suas próprias versões, criaram músicas, produtos e tudo mais o que se pode imaginar que tivesse correlação com o universo de Skyrim. Mas vejam bem, o que ficou famoso foi o nome SKYRIM, e não The Elder Scrolls.

Muita gente sequer sabe que Skyrim é parte de uma das séries mais antigas de jogos que até hoje perduram: The Elder Scrolls. Cada jogo não tem tanta correlação com o anterior, portanto é normal que as pessoas associem o nome Skyrim a algo sozinho. É diferente de assistir somente O Retorno do Rei sem ter assistido As Duas Torres.

Muita gente nem sequer jogou Skyrim e, de tanto ouvir falar, conhece pelo menos o que é. E virou de muito fácil assimilação. O termo FUS RO DAH, um dos chamados Shouts proferidos por Dovahkiin durante o jogo é o mais utilizado e compreendido. Faça o teste: jogue no Youtube esse termo e achará centenas de vídeos com isso no título. O mais comum são compilações de pessoas caindo misteriosamente após o editor do vídeo ter colocado o grito de FUS RO DAH de fundo. É um novo meme, e muito utilizado, por sinal.

O jogo foi lançado em novembro do ano passado, e até hoje é muito lembrado e será dificilmente esquecido. A mais do que épica música título é forte o suficiente para criar uma marca profunda na memória de alguém, ainda mais com diversas versões diferentes pela internet à fora: versão em dubstep, versão em Heavy Metal, versão com violino, versão com piano, versão com alguém cantando… o que não falta são versões diferentes dessa música. E todas feitas por pessoas sem qualquer ligação à Bethesda, empresa responsável pelo jogo.

Skyrim levou o videogame a um conceito mais amplo do que qualquer outro jogo jamais fez. Talvez daqui alguns anos será apenas lembrado como um excelente jogo, já que não possui  um personagem que reaparecerá em seqüências, como um Super Mario  ou um Sonic. Falo isso, claro, em relação àquelas pessoas que são afastadas do universo dos videogames, mas que conhecem e sabem do que Skyrim ou FUS RO DAH se trata.

O boom gerado por Skyrim é louvável e importantíssimo. Um jogo sozinho, que não tem o menor apelo ao jogador desinteressado por videogames, ficar tão famoso assim, e sendo a maior parte dessa fama gerada por pessoas sem vínculo algum às empresas do jogo é algo impressionante.

Skyrim hoje é parte integrante da cultura popular, muito mais do que nenhum jogo algum dia já desejou ser. Muito mais do que os próprios videogames.

FUS RO DAH!

Anúncios

Um pensamento sobre “[Consciência Gamer] FUS RO DAH!

  1. Excelente post Neto, perfeito. Esqueceu de citar a pequena moda que ele criou entre os internautas da flecha na perna, ficou muito parabens mesmo.

    Skyrim é com certeza um game cultural, como Diablo II foi um dia ele sempre será lembrado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s