[Tomio’s Review] Darksiders

Nome: Darksiders
Produtora: Vigil Games
Gênero: Aventura
Plataforma(s): Xbox 360, Playstation 3, PC
Versão analisada: Playstation 3

Ladonegros

Darksiders é um jogo de aventura produzido pela Vigil Games para plataformas HD em 2010.

Lindamente feio

Darksiders leva o jogador a uma jornada caótica e sangrenta contra várias criaturas bizarras espalhadas pelo mundo do jogo, mostrando gráficos que, apesar de não fazerem parte da elite técnica, cumprem muito bem com o seu papel, além do fato do jogo apostar muito mais em seu conteúdo artístico incomum e chamativo, que variam desde cidades devastadas e coloridos campos naturais a horrorosas (no bom sentido) criaturas demoníacas e imagens angelicais.

Os controles são fluidos e funcionais em geral, apesar da ausência de opção de mapeamento de comandos e da disposição de algumas ações em certos botões serem desconfortáveis dependendo do jogador.

A parte sonora também é bem tratada, com sons ambientes, músicas orquestradas, grunidos e sons de armas cortando desde ar a pedaços de carne viva, além de um excelente trabalho de dublagem.

Legend of War

O jogo é totalmente baseado em profecias do Armagedom, com cavaleiros do apocalise e óbvias modificações/alterações, focalizando a narrativa de Darksiders em um dos cavaleiros, War, em uma saga que envolve anjos e demônios em um futuro onde os humanos foram extintos da Terra.

É interessante observar que, por mais que o jogo tenha fontes primárias de enredo para se basear, fica inevitável as comparações com a estrutura da série Legend of Zelda, jogo de mesmo gênero, bastando comparar alguns personagens e seus papéis ou alguns objetos/acontecimentos.

Na parte do elenco são apresentados personagens bastante carismáticos, lembrando um pouco a série Ratchet and Clank da Insomniac, mas sem o humor infame.

Pocotó pocotó pocotó

Darksiders, sendo do mesmo gênero de Zelda, possui obviamente a mesma estrutura básica, com exploração de campo e dungeons atrás de power ups, batalhas em tempo real, resolução de puzzles e conquistas de novos recursos através de baús ou um mercante.

É louvável o trabalho da Vigil em deixar a experiência agradável na maior parte do tempo, com batalhas com muitos golpes, armas e magias para inúmeras possibilidades de combos. Um dos destaques do sistema são os golpes finalizadores, mais conhecidos como “quick time events”. No caso de Darksiders, esses golpes, com excessão de chefões, não são temporários, não são obrigatórios e podem ser encaixados a qualquer momento de um combo assim que disponível, mantendo a jogabilidade fluida e abrindo mais ainda o leque de combinações ao invés de limitá-lo.

Além das batalhas, o jogo também apresenta muitos quebra-cabeças inteligentes a cada nova localidade descoberta, recursos interessantes como um dispositivo de teleporte e variedade de gameplay que vai desde andar a cavalo pelos mapas a montar em uma espécie de grifo com jogabilidade de Star Fox, da Nintendo.

Apesar da grande variedade de armas, magias e acessórios, é inegável que grande parte desses itens são desnecessários e/ou completamente inúteis, já que um punhado deles são absolutamente melhores que o resto em todos os quesitos. Na parte do andamento de jogo, Darksiders perde força aos 2/3 de jogatina, com número excessivo de backtracking, um sistema não muito amigável de transporte/viagem, e os chefões, que nos primeiros desafios necessitam de mais habilidade e inteligência, mas nos últimos não vão muito além de bater e desviar incessantemente.

O que pode ser feito quando o mundo acabar?

Darksiders possui cerca de 25 horas de jogatina, sendo que 15 são para a a main quest e o restante para ir atrás de extras, como habilidades, tesouros e energias escondidos pelos cenários, mas nada muito complicado para ser desvendado, já que o jogo libera, cedo ou tarde, recursos que auxiliam a busca desses extras.

Movido pela guerra

Darksiders é uma agradável e curta experiência, recomendado para quem gosta do gênero de Legend of Zelda, uma temática caótica ou simplesmente um bom trabalho artístico em geral.

Nota: 8

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s